Buscar

Acipe se surpreende com pedido da OAB de regulamentar estacionamento sobre a ciclofaixa

No dia 15 de outubro, foi o estacionamento sobre a ciclofaixa um dos fatores que causou o atropelamento e a morte do ciclista Carlos Alberto Guimarães da Silva.


A Tribuna de Petrópolis publicou na edição desta quinta-feira, dia 7 de novembro, uma reportagem destacando que a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB/Petrópolis solicitou, em reunião, que a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes - CPTrans regulamentasse, ou seja, tornasse legal, o estacionamento sobre a ciclofaixa (o que é proibido segundo o artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB) no trecho do fórum, da pista sentido distritos, da Avenida Barão do Rio Branco.


Isso, poucos dias depois que o ciclista Carlos Alberto Guimarães da Silva, de 63 anos, morreu após ser atropelado por um carro, justamente quando desviava de um veículo estacionado sobre a ciclofaixa.



Na entrevista que deu ao jornal, o presidente da OAB/Petrópolis, Marcelo Schaefer, disse que a proposta, segundo ele, é "permitir o estacionamento naquele trecho durante o horário de funcionamento do Fórum – podendo ser de 8h às 17h ou de 9h às 17h. 'A regulamentação efetiva daquela área vai trazer mais segurança uma vez que nesse horário são poucos os ciclistas que utilizam o espaço”


À reportagem, o presidente da OAB disse que são "poucos os estacionamentos privados na região". Abaixo, segue a nota enviada pela Acipe ontem à reportagem:


A Associação dos Ciclistas de Petrópolis - Acipe, recebeu com surpresa a informação sobre o desejo da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB/Petrópolis de querer regulamentar o estacionamento sobre a ciclofaixa no trecho onde aconteceu o acidente que tirou a vida do Carlos Alberto Guimarães da Silva, de 63 anos, no dia 15 de outubro.
Foi justamente a presença de um carro estacionado no local um dos fatores responsáveis pelo acidente. É ainda contraditório o uso do argumento de que o fluxo de ciclistas é menor ao longo do dia como justificativa para estabelecer horário de funcionamento da ciclofaixa - uma das propostas levantadas - visto que Carlos foi atropelado por volta das 15h.
Além disso, a Acipe não deseja e não solicita a criação de privilégios - mesmo para os ciclistas. O que a associação deseja é o respeito aos direitos individuais (o que inclui os ciclistas) de circularem de forma segura nas vias de Petrópolis. A melhor maneira para se discutir o convívio seguro é o debate público. Por esse motivo, a associação promoveu junto com a Câmara Municipal de Vereadores, no 31 de outubro, uma audiência pública.
Se a presença da ciclofaixa reduz o espaço para a circulação de veículos na Avenida Barão do Rio Branco, a utilização do espaço público como estacionamento privado também. Com uma diferença: enquanto a ciclofaixa tenta garantir de forma segura o fluxo de pessoas, carros parados ao longo da via tornam perigosa essa circulação e estreitam a via de forma permanente enquanto o veículo estiver parado. Além disso, a OAB tem vagas regulamentadas em ruas transversais no trecho do fórum.
O próprio fórum tem estacionamento. A OAB disponibiliza uma van para levar e buscar advogados do centro para o fórum. Ainda, nas proximidades do fórum existem três estacionamentos privados e pontos de ônibus. Portanto, acreditamos que as soluções para mobilidade urbana devem ser norteadas pelo debate amplo e aberto à população, seguindo normas técnicas de infraestrutura urbana, visando a segurança e a fluidez no trânsito sem conferir privilégios para poucos.

©2019 by 

ACIPE

Associação, sem fins lucrativos, criada para ajudar a promover conscientização e políticas públicas em benefícios dos ciclistas de Petrópolis.

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram